Contratos de TI merecem atenção especial

Serviços inovadores e diferenciados frutos da criatividade de empresas de tecnologia fogem dos institutos jurídicos tradicionais, podendo gerar confusão àqueles que lidam com direito. Nesse contexto, cita-se os contratos de serviços de hospedagem, acordos de nível de serviço (SLA – Service Level Agreement), gestão de processos e de projetos (PMO – Project Management Office), entre outros.

Os contratos de Tecnologia da Informação (TI) são poucos discutidos, o que acarreta na não observância correta de pontos relevantes como, por exemplo, aspectos de propriedade intelectual, tributários, relações trabalhistas, consumo, importação e exportação.

O descuidado com aspectos técnicos e negociais nos contratos de TI não se dá por desatenção dos profissionais do Direito, mas sim em razão do foco de suas especializações, pois a maioria deles não possui um interesse na área de tecnologia. Além disso a legislação vigente não contribui para a regulação destes contratos.

No entanto, cada um desses serviços têm suas peculiaridades e normalmente acaba-se os regulando conforme a vontade do mais forte, ora o cliente, ora as empresas de TI.

Por fim, salienta-se que se deve ter atenção principalmente quanto à nomenclatura utilizada para nomear o contrato, seu objeto, aspectos de propriedade intelectual, formas de rescisão e questões operacionais.

Fonte: http://www.ipnews.com.br

Anúncios

Turbine a TI da sua empresa

A Tecnologia da Informação (TI) não deve merecer destaque apenas nas grandes empresas. Conforme Nelson Wortsman, soluções de TI ajudam a organização da empresa, pois melhoram o desempenho, cortam custos e reduzem prazos. Ainda, salienta que aumentando a eficiência, majora-se a competividade.

Wortsman e o site Terra, listaram 10 dicas para turbinar a TI na sua empresa:

1) Banda larga rápida (Todo mundo necessita de Internet, mesmo empresas que o negócio não têm nada a ver com a web);

2) Cloud computing (Disponibiliza aplicações e dados em qualquer lugar do mundo; a contratação de serviços de terceiros reduz o custo de implementação e manutenção);

3) Automação comercial (Um exemplo eficiente é o uso de tablets para o registro de pedidos em restaurantes, o método agiliza e organiza os pedidos);

4) Software de gestão comercial (Conhecidos como ERP (Enterprise Resource Planning), organizam e integram todas as operações da empresa, desde a parte contábil até a do estoque);

5) Mídias sociais (Servem para monitorar reclamações e elogios, podendo assim fazer melhorias. O monitoramento deve ser um hábito);

6) Equipamentos móveis (Contratar planos empresarias é mais barato do que planos destinados a pessoa físicas, disponibilizando aparelhos e contas ao seus funcionários a empresa pode reduzir custos de ligações);

7) Terceirização do serviço de TI (A empresa deve focar na sua área de atuação, deixando a TI para empresas especializadas);

8) Estrutura para home office (Com a jornada de trabalho mais rígida, disponibilizar arquivos ou aplicações da empresa aos colaboradores para que sejam acessados de casa pode ser uma solução interessante);

9) Recrutamento online (Utilizar ferramentas como Linkedin e pesquisar perfis na mídias sociais, pode ser uma solução para economizar com empresas de consultoria em Recursos Humanos);

10) Software de gestão de projetos (Ajuda a otimizar tempo, compartilhar documentos, acompanhar prazos e distribuir tarefas, gerando assim vantagens à empresa).

Fonte: http://www.terra.com.br