Prata da Casa

Em 2009, tive a oportunidade de fazer meu trabalho de conclusão, do curso de Administração das Faculdades de Taquara, RS, sobre a construção da marca da Oktoberfest de Igrejinha.

Nas regiões do Vale do Paranhana, dos Sinos e das Hortências, creio que o evento seja uma referência. Para quem não sabe, a Oktoberfest de Igrejinha foi criada para resgatar a cultura alemã, fato que se mantém até hoje.

Nas conclusões de meu TCC, destacaram-se dois pontos principais para o sucesso da Oktoberfest, que neste ano completa seu Jubileu de Prata (25 anos): o Voluntariado e a Transparência.

Toda a festa é organizada pela comunidade, através de um grupo de voluntários. O poder público atua apenas como parceiro. Hoje, o grupo de voluntários soma aproximadamente 3.000 pessoas, um número impressionante, que faz com que a Oktoberfest de Igrejinha seja conhecida como “a maior Festa Comunitária do Brasil”. Quando entrevistei pessoas ligadas ao evento em 2009, um dos entrevistados falou uma frase interessante: “A Oktoberfest é um ‘vírus’, uma vez contaminado é difícil desligar-se”. Eu próprio tive a oportunidade de participar como voluntário, o que somente aumentou meu respeito e admiração por aqueles que de dedicam à causa. O trabalho voluntário é valorizado em muitas empresas, porque em muitos casos demonstram uma preocupação do indivíduo, muito além de sua atuação corporativa. Através do voluntariado, pode-se desenvolver diferentes habilidades, como a liderança, a comunicação e a capacidade de trabalhar em equipe.

Bem, certamente um fato que contribui para um número tão elevado de voluntários é a transparência. Os resultados financeiros das edições da Oktoberfest de Igrejinha são amplamente divulgados na mídia e o ponto alto é a Festa do Repasse, quando os lucros são destinados a entidades de Igrejinha e região, tais como o Hospital Bom Pastor, APAE e Brigada Militar, dentre outros. Os valores dos últimos repasses, somados aos valores auferidos diretamente pelas entidades em seus estandes montados durante a festa, tem sido superiores a R$ 800.000,00.

Quando utilizei o título “Prata da Casa” foi para demonstrar que temos uma jóia na região, uma referência em termos de administração. Importante destacar que durante o meu TCC pude observar que o evento tem sim pontos de divergência e de melhoria, o que acredito ser normal em qualquer organização. A divergência “sadia” é importante e necessária, para a busca de soluções. Mas o mais importante é a convergência de forças e iniciativas para o atingimento de objetivos comuns.

A Oktoberfest de Igrejinha, além de ser um grande agente integrador da comunidade do Paranhana, resgata a cultura alemã e beneficia toda uma comunidade. É verdadeiramente uma “Prata da Casa”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s